Início » Todos » Recuperação Ativa para Remover Lactato – Mitos e Fatos

PARCEIRO/CONTEÚDO EXCLUSIVO

Banner Premium para Anunciantes/Ocasiões Especiais

Banner premium destinado a anunciantes/ocasiões especiais.

Recomendável utilizar formato simples e responsivo.

Posicionado em todas as páginas do site.

0 comentário(s)

9 de março de 2018

Segredos do Mountain Bike

Recuperação ativa para remover lactato mitos e fatos
Sabe aquela corridinha ou aquele pedal de intensidade moderada que você foi encorajado a fazer depois do seu treinamento? Pois bem, essa atividade é conhecida como recuperação ativa e baseou-se principalmente no seu efeito sob a remoção de lactato pós-exercício. Primeiro, é verdade que a recuperação ativa remove mais rapidamente o lactato. Entretanto, qual o motivo de tentar uma remoção mais rápida? É mito ou fato que ele causa fadiga?

Mito! O lactato não causa fadiga.

Pesquisadores mostraram que uma redução do PH no músculo/sangue (através da ingestão de NH4Cl pelos atletas) afetou negativamente o desempenho no ciclismo em um contra relógio. E essa queda, foi acompanhada por uma baixa concentração do acido (CORREIA-OLIVEIRA et al., 2018). Um exemplo é o atleta especialista em sprint que ao final de um mesmo exercício (Sprint), apresenta maior concentração e melhor desempenho que atleta de maratona (endurance). Desta maneira, se o lactato fosse o causador de fadiga, o atleta sprinter teria um desempenho pior que o de maratona. Portanto, uma pessoa mais bem condicionada em exercícios de predominância anaeróbia lática, produzem mais deste acido comparada as não condicionadas. Isso ocorre em razão de uma maior eficiência do metabolismo glicolítico. Bom, mas o que é lactato? É um produto da via do metabolismo energético glicolítico. Essa via é utilizada para fornecer energia e sustentar os exercícios de alta intensidade. Geralmente, quanto maior a intensidade do exercício, maior a concentração no músculo e consequentemente no sangue. Entretanto, essa alta concentração após exercício de alta intensidade é apenas uma associação entre eles, porém sem causa e efeito. Após o treino, o lactato formado é removido rapidamente pelo coração, fígado e músculo, voltando a seu nível de repouso 90 minutos após o exercício de alta intensidade. Para finalizar, o nosso corpo o utiliza com fonte de energia, e pesquisadores têm investigado o efeito da suplementação de lactato sob desempenho esportivo. Portanto, se você executa a recuperação ativa para remover lactato visando a próxima sessão de treinamento que acontecerá no outro dia, não se preocupe. E aquela queimação? É o lactato? Também não. Mas vamos deixar esse assunto para uma próxima conversa. Compartilhe com seus amigos se você gostou deste artigo! Inscreva-se na nossa lista de e-mails para receber conteúdo exclusivo como esse em primeira mão!

Por: Rhaí André

 

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Publicações
Redes Sociais
Categorias

CHRISTIAN DRUMOND

Cardiologista, Pós graduado em Medicina do Esporte, Coach, Ciclista “Old School”, Apaixonado por MTB, e Fundador do Segredos do Mountain Bike.

ads-300x600-hugoprado

Segredos do Mountain Bike · 2019 © Todos os direitos reservados