Início » Dicas Gerais » Importância do movimento do músculo dos glúteos em ciclistas

PARCEIRO/CONTEÚDO EXCLUSIVO

Banner Premium para Anunciantes/Ocasiões Especiais

Banner premium destinado a anunciantes/ocasiões especiais.

Recomendável utilizar formato simples e responsivo.

Posicionado em todas as páginas do site.

0 comentário(s)

27 de abril de 2018

Segredos do Mountain Bike

Importância do movimento do músculo dos glúteos em ciclista.
Quando pensamos em movimento dinâmico, muitas vezes, esquecemos que a origem da movimentação de músculos posteriores e estabilização da coxa acontecem devido à contração do músculo do glúteo. Sabe-se que o glúteo é o grande responsável pela ativação correta dos isquiotibiais na fase de “puxada” da pedalada, movimentação onde ocorre a extensão de joelhos. Muitas vezes, essa fase é exercida somente pela força de quadríceps nas fases de chute e propulsão para que o joelho faça a extensão e em seguida a puxada. Pensando somente na prática de execução e não dando a devida importância a ativação dos glúteos o movimento de extensão de joelhos acaba sendo ineficiente devido à falta de ativação dos mesmos. Para que o rendimento seja com qualidade, a movimentação sequencial correta para melhorar o glúteo e ter força para ativar os isquiotibiais, é necessário um bom trabalho de força na musculatura do core.  A partir disso equilíbrio de forças serão distribuídos na pedalada com exercícios que estimulem movimentação global de abdominais, para estabilização e movimentação dos músculos posteriores com a finalidade de ativar glúteos. A proposta é de conseguir encaixar os exercícios do core na periodização para que não atrapalhe os treinos realizados em cima da bike. Uma vez que o ciclista tenha essa preocupação podemos dizer que será eliminado problemas que venham a acontecer com compressão do ciático e possíveis desequilíbrios de quadris responsáveis por tendinites no músculo piriforme e glúteos médios. Essa musculatura é responsável pela estabilização de lombares e possíveis dores sacrais e também em musculatura dos abdutores. Sem descartar que um bom bike fit pode resolver outra parte de problemas a serem corrigidos devido a uma má posição do quadril no selim e ajustes de distância no top tube. Depois de resolvido esses problemas o fortalecimento do core será sempre necessário a ser desenvolvido para que os treinos tenham continuidade para melhoria de rendimento. Se você gostou, compartilhe com seu parceiro biker que vai curtir nossas dicas também.

Por: Elayne Alves

 

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Últimas Publicações
Redes Sociais
Categorias

CHRISTIAN DRUMOND

Cardiologista, Pós graduado em Medicina do Esporte, Coach, Ciclista “Old School”, Apaixonado por MTB, e Fundador do Segredos do Mountain Bike.

Segredos do Mountain Bike · 2020 © Todos os direitos reservados