Tudo que você precisa saber sobre o Campeonato Mundial de Mountain Bike

É o principal título do ano, por isso saiba tudo sobre as corridas de downhill e cross country olímpico em Lenzerheide na Suíça

 

Campeonato Mundial UCI de Mountain Bike é, para muitos, a maior corrida do ano. É a oportunidade única do ciclista vestir da camisa arco-íris de campeão sem precisar pensar nos pontos do ranking mundial da Copa do Mundo UCI Mercedes-Benz de MTB. Atletas são selecionados pelas federações nacionais e competem por seus países, em que o campeão mundial ganha o direito de usar as listras arco-íris pelo resto de sua carreira profissional.
A MTB athlete in the French jersey rides at Cairns World Champs practice.
Toda a atmosfera desta corrida é diferente: atletas concentrados, fones de ouvido volumosos e muito foco para entrar 100% em ação.

Onde fica?

Estamos na Suíça. O resort de montanha de Lenzerheide fica situado na região de Graubünden. A principal cidade é Chur, localizada no Vale logo abaixo de Lenzerheide, que tem como vizinha a charmosa vila de St Moritz.

The mountains in Lenezerheide prior to practice at the DH World Cup round in Lenzerheide, Switzerland, on July 2

A região é famosa pela alta qualidade na produção de queijo suíço! E claro, pelas trilhas “world class” nos Alpes.

Some pristine bike park turns in Lenzerheide, Switzerland.

O bike park recebeu uma etapa da Copa do Mundo UCI em 2015. O parque foi construído ao longo dos meses de verão em 2013 e 2014 com participação dos lendários Steve Peat e Claudio Caluori que estiveram envolvidos no design e construção de pistas de classe mundial, como o circuito de Downhill intitulado STRAIGHTline, sede também do Mundial de DH.

 

As pistas

As pistas são velozes! Provavelmente isso parece um pouco óbvio, mas os circuitos de XCO e DHI são rápidos no conceito do design moderno, com fluidez e técnica, diferente das pistas do passado que resumiam-se a terrenos brutalmente inclinados. 
Downhill – A pista tem 2.2km de distância e foi feita para os pilotos atacarem as linhas, em que para conseguirem alguma vantagem será preciso assumir os riscos. É uma pista de DH estilo ‘F1’, qualquer erro e você estará fora da competição, que promete ser com tempos apertados.
Para o Mundial, a pista de DH ganhou um novo trecho na floresta e após o ROAD gap no meio do percurso, os pilotos ainda terão uma sequência de cuecas novas antes de voltarem à trilha na mata.
Pista de DH em Lenzerheide
XCO – O circuito para o mundial será o mesmo utilizado na etapa da World Cup em 2017. O circuito caracteriza-se por uma subida longa no início, seguido por um trecho mais plano para recuperar o fôlego com seções com diferentes opções de caminhos. O grande desafio é a altimetria com 1.500m acima do nível do mar, nada brutal como Vallnord (Andorra), mas um fator que não pode ser ignorado.

Quem venceu no ano passado?

Men's Podium at the Lenzerheide UCI XCO World Cup Rd 4 in Switzerland on July 9, 2017

Na última competição em Lenzerheide em 2017, o local Nino Schurter foi imbatível ao realizar uma temporada perfeita, vencendo os títulos da Copa do Mundo e Campeonato Mundial. Destaque ainda para Jaroslav Kulhavý que mostrou sua força no final do ano. No feminino, Annie Last surpreendeu com uma vitória no XCO.
Myriam Nicole em Hafjell
No downhill, a francesa Myriam Nicole conquistou seu título da temporada na Suíça, etapa que marcou o retorno de Rachel Atherton que ainda não estava 100% recuperada de uma lesão. 
No DH masculino, as últimas duas corridas da temporada foram emocionantes para definir o campeão o circuito mundial. Em Lenzerheide, Greg Minnaar, que já tinha vencido nessa pista antes, ocupava o hotseat. Troy Brosnan fez uma descida incrível, mas não conseguiu superar o tempo de Minnaar. Depois, Aaron Gwin veio com tudo, mas seu pneu traseiro estourou e acabou a corrida pelo título para ele.
Aaron Gwin rolls in to the finish at Lenzerheide World Cup DH Finals in Switzerland on July 8, 2017.

Os favoritos para o Mundial 2018

A Copa do Mundo UCI MTB Mercedes-Benz 2018 foi a mais difícil de prever os resultados. Mesmo com altos e baixos ao longo do ano, Nino Schurter ainda assim assegurou seu sexto título geral na competição. Sem dúvida, ele estará afiado para defender o título de campeão mundial competindo no seu quintal.

Nino Schurter with the World Cup Overall trophy during Round seven of the UCI XCO MTB World Cup 2018 in La Bresse, France on August 26, 2018.

O campeão da etapa de Vallnord, o italiano Gerhard Kerschbaumer terminou com o vice em outras duas provas, em Mont-Sainte-Anne e La Bresse, colocando pressão no pelotão. Assim como o campeão de Mont-Sainte-Anne, o suíço Mathias Flückiger que vem crescendo a cada prova.
O Mundial não contará com o campeão da etapa de Stellenbosch, o neozelandês Sam Gaze que fraturou o punho num tombo nos treinos em Mont-Sainte-Anne e encerou a temporada mais cedo. 

Brasileiros

Sem dúvida, a grande esperança de um grande resultado vem de Henrique Avancini, que fez uma temporada 2018 histórica. Top 4 na classificação geral da Copa do Mundo UCI MTB XCO e vice-líder do ranking mundial UCI, o atleta fluminense vem colocando pressão nos adversários e já conquistou uma inédita vitória na prova de short track (XCC) e desempenhos sólidos no XCO. Vale lembrar que em 2017, o Campeonato Mundial marcou até então o melhor resultado do atleta brasileiro com o top 4 na competição.
O Brasil ainda será representado com José Gabriel, Luiz Henrique Cocuzzi, Raíza Goulão e Jaqueline Mourão.
No DH feminino, olhos voltados para Rachel Atherton que venceu em La Bresse, diante da favorita na ocasião, Tahnée Seagrave. Mas o Mundial é uma prova de tudo ou nada, vale lembrar que a canadense Miranda Miller venceu o título mundial em Cairns, Austrália, no ano passado, surpreendendo a todos.
No DH masculino, o título da prova está aberto para pelo menos 20 pilotos com condição plena de vencer.
Loris Vergier as seen at the finish line on Vallnord DH World Cup race day on July 14, 2018.
Claro que existem alguns favoritos, como o campeão geral da Copa do Mundo UCI MTB DH 2018, o jovem francês Amaury Pierron, além de seus compatriotas Loris Vergier e Loïc Bruni. O “Super Bruni” já conquistou duas vezes o título mundial e sabe bem como lidar com a pressão de uma corrida de um “tiro só”.
Aaron Gwin estará de volta com sua bike aro 29 polegadas e estará sedento por uma vitória.
Baixe agora o aplicativo da Red Bull TV e fique ligado em tudo que rola no universo do MTB em qualquer dispositivo. Faça o download aqui.
Não podemos esquecer de Greg Minnaar, um dos maiores pilotos de downhill de todos os tempos, que ficou de fora de grande parte da temporada recuperando-se de lesão. Vale destacar que ele já possui dois títulos mundiais e sempre será um forte candidato ao tri.
O belga Martin Maes, que surpreendeu com a vitória em La Bresse, que ocupa atualmente a vice liderança do ranking do Enduro World Series, é especialista em descidas longas, mas adicionar um título mundial no currículo soa bem para qualquer um…

Onde assistir

Dia 8 de setembro, sábado: Cross country olímpico (XCO) – Transmissão em português;
  • XCO Feminino às 7:15am
  • XCO Masculino às 10:15am
Dia 9 de setembro, domingo: Downhill (DHI) – Transmissão somente em inglês
  • DH Feminino: 07:15am
  • DH Masculino: 10:15am

 

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e inscreva-se abaixo para receber conteúdo exclusivo em seu e-mail.