0 comentário(s)

13/06/2018

Christian

Depois de falar da importância do diálogo interno no desempenho esportivo, no artigo anterior, eu trouxe para você duas estratégias com garantia de resultado, coisa difícil de se garantir no mundo esportivo.
Vou te ensinar uma das ferramentas de coaching que você facilmente pode usar durante uma prova, um treino ou até naquela subida temida.
Quando e se a “VOZ DA SUA CABEÇA NEGATIVAR”, Aplique a seguinte técnica:

Técnica 01:

Pense em pelo menos duas coisas que você é grato(a) na vida. Diga a si mesmo que está ali por escolher, por ter saúde e força para fazer MTB e isso é incrível. Você pode usar outra frase ou palavra. Eu uso “pedalar é fantástico”.
Pense no quanto você quer estar ali, focando em tudo de mais positivo que está acontecendo naquele momento, numa fração de segundo, consegue captar? Diga:
Eu Escolhi estar aqui e vou dar o meu melhor! [POOW**]
Colocar este simples exercício em prática terá um poder incrível. E isto está inteiramente ao seu alcance. Basta escolher praticar!
A performance humana está tão comprovadamente ligada à nossa mente que estudos mostram que gritar no pico do esforço pode aumentar o desempenho humano.
O POOW quer dizer que você deve acionar uma âncora ou gatilho para “ligar” o seu modo máximo, tipo seu estado mental “He-man”.

Técnica 02:

Abuse da autocrítica: Faça boas e inteligentes perguntas a si mesmo e a esta voz chata que sonha em te derrubar!
Pergunte:
Existe como provar que este pensamento é uma verdade absoluta, inquestionável?
Eu posso provar esta verdade?
Ou é uma Historinha da sua cabeça, do ego, da posse da zona de conforto?
Do que eu quero me proteger quando eu digo ___________?
Exemplo:

  • Eu não aguento subir com o fulano;
  • Não subo bem;
  • Sou fraco no plano;
  • Já está bom;
  • Só vim passear (famoso);
  • Não estou treinado;
  • Eu não quero ser atleta;
  • Eu não treino direito.

Se conseguir dar uma boa risada, boa parte do feitiço do pensamento negativo estará curado.
Caso não, parta para a segunda parte: a pilha de porquês:
Eu não subo bem, porque __________.
Porque __________.
PQ _________.
PQ ________.
Por último, após 3 – 10 porquês, faça a seguinte pergunta:
E daí? Como eu posso lidar com isso AGORA?
EXEMPLO:
EU não subo rápido porque estou mal treinado.
PQ não treinei quanto queria, devia, desejava.
PQ não tive tempo ou tive preguiça (fingiu).
PQ estou trabalhando acima da média / viajando muito.
E como eu posso lidar com isso AGORA?
Controlando o esforço e não queimando na primeira subida.
Aprimorar a sua técnica de diálogo interno irá te levar muito adiante dos normais.
Acredite. Faça acontecer o seu melhor!
Ferramentas como esta são simples, mas são elaboradas com metodologia e desta forma a intenção da pergunta te direciona.
Que a sua mente te leve além.
Vamos #PraCima!
Se você gostou deste conteúdo, compartilhe com seus amigos e inscreva-se em nossa lista de e-mail.

Por: Christian Drumond

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Redes Sociais
Categorias

CHRISTIAN DRUMOND

Cardiologista, Pós graduado em Medicina do Esporte, Coach, Ciclista “Old School”, Apaixonado por MTB, e Fundador do Segredos do Mountain Bike.

Segredos do Mountain Bike · 2021 © Todos os direitos reservados

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!