Quando realizar a liberação miofascial?

A liberação miofascial é uma técnica especializada de alongamento que libera as tensões e realinha o corpo.

Pode ser feita por profissionais ou até mesmo pelos atletas quando bem instruídos para utilizar materiais que auxiliam. Exemplo: rolo, bola de tênis ou bastão.

No ciclismo é ainda pouco utilizada, e quando é, são por atletas da categoria elite.

Atualmente, ela está aparecendo no contexto de periodização de treinos para melhorar rendimento/recuperação e também contribuir para realinhamentos posturais com auxílio de outras atividades para consciência corporal.

Liberação miofascial realizada no pré-treino

  • Aumenta a mobilidade articular;
  • Favorece a execução dos movimentos;
  • Diminui a sobrecarga e tensão músculo-articular;
  • Libera e ativa os músculos;
  • Prepara a musculatura que será trabalhada.

Liberação miofascial realizada no pós-treino:

  • Relaxa a musculatura;
  • Ajuda na liberação do ácido lático;
  • Ajuda a diminuir as tensões musculares;
  • Ajuda na recuperação muscular e evita dores tardias;
  • Previne lesões;
  • Proporciona bem-estar.

A técnica para utilização trabalha diretamente com a fáscia e ajuda a relaxar e alongar os músculos.

A fáscia é uma membrana do tecido conjuntivo, localizada logo abaixo da pele, extremamente resistente e elástica, com a função de conectar e proteger a musculatura para que o deslizamento das fibras seja com maior qualidade.

Uma vez preservado esse tecido conjuntivo, a pessoa que pratica um esporte para sua qualidade de vida tem muito mais chances de sucesso em praticar por mais tempo e de maneira mais uniforme, pois as chances de lesões diminuem bastante.

Em atletas de alto rendimento, geralmente é realizada por massagistas devido à pressão que deve ser exercida para conseguir provocar a liberação.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe com seus amigos e inscreva-se em nossa lista de e-mail.

Por: Elayne Alves