0 comentário(s)

15/03/2018

Christian

Para muitos atletas, o processo de diminuir o percentual de gordura para ficar mais leve para os  treinos e competições é desgastante… E infelizmente resulta em perda de desempenho! Mas, isso somente acontece quando o atleta é orientado por profissionais da área para “cortar” todos os carboidratos da alimentação ou se ele mesmo procura e encontra soluções “mirabolantes” que são divulgadas nas redes sociais sem relevância científica alguma. Cuidado, procure um Nutricionista Esportivo que trabalhe de acordo com a ciência (ou seja, não segue dietas da moda!) e que tenha conhecimento em Fisiologia do Exercício e Treinamento Esportivo.  

Como é o processo de redução do percentual de gordura?

O acompanhamento nutricional para diminuição do percentual de gordura evitando uma queda de desempenho é muito simples e tranquilo de seguir. A ingestão calórica tem que ser menor do que o gasto calórico diário. Usando fórmulas para estimar este gasto (que é alto, devido aos treinos), é definido o valor calórico do plano alimentar, por uma subtração de 800 a 1000 Kcal / dia ( se falta energia para o dia, o organismo começa a “queimar” as gorduras armazenadas no corpo para fornecer tal energia…) Com isso, a gordura corporal diminui! Sendo assim, a ingestão calórica será diferente para treinos longos, treinos leves, dia off e outras particularidades de cada atleta! Só por aí, percebe-se que o atleta precisa de vários planos alimentares… E esse cuidado interfere no desempenho… O Nutricionista Esportivo tem que estar atento a isso!!!  

E os alimentos, como é a distribuição deles ao longo do dia?

Um aspecto importante que deve ser levado em consideração nesse processo é a não utilização da massa muscular como fonte de energia! Qual atleta quer perder músculo? Para isso, o fornecimento de alimentos energéticos se torna fundamental para evitar a perda da musculatura, ou seja, se a ingestão de carboidratos estiver na quantidade adequada ( 60 a 65% do valor calórico da dieta) o risco de redução da massa magra diminui. Pois, se tem energia disponível, o organismo não precisa usar a massa muscular! Outro aspecto é ter energia para os treinos! Que também será proveniente dos alimentos ricos em carboidratos… E a recuperação do glicogênio muscular (energia dos músculos) e das fibras musculares pós treino, precisará de carboidratos e proteínas respectivamente. Os alimentos oferecidos antes, durante ( se precisar) e depois dos treinos são fundamentais para o sucesso!

Então, é possível ficar mais leve sem perder desempenho?

Sim! Ou seja, todos os nutrientes devem estar presentes na alimentação diária de acordo com as recomendações… Sabendo que os carboidratos prevalecem sobre os outros nutrientes! Não são eles os vilões do emagrecimento… O balanço calórico é o que mais interfere! Se ele está negativo, com refeições adequadas no pré-treino, durante o treino (se precisar) e no pós-treino… A perda de percentual de gordura se torna menos desgastante, eficiente e não irá atrapalhar o desempenho dos treinos!!!  
Concluindo… Não acreditem em promessas milagrosas e restrições alimentares radicais! Existem vários aspectos que o Nutricionista leva em consideração para elaborar um plano alimentar com esse objetivo! Que torna esse processo mais saudável, seguro e eficiente!  
Se gostou, compartilhe esse artigo com seus amigos!

Por: Cristiane Rocha Dayrell

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Redes Sociais
Categorias

CHRISTIAN DRUMOND

Cardiologista, Pós graduado em Medicina do Esporte, Coach, Ciclista “Old School”, Apaixonado por MTB, e Fundador do Segredos do Mountain Bike.

Segredos do Mountain Bike · 2021 © Todos os direitos reservados

Insira o seu endereço de email abaixo para receber conteúdo GRATUITO e EXCLUSIVO do nosso blog!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!