Sabe em que fatores você deve se ligar para evitar a lombalgia?- Parte 1

Um dos maiores achados em relatos de ciclistas, tanto do MTB amador ao profissional quanto atletas de ciclismo de estrada, é a lombalgia durante as provas e até mesmo em repouso.

Existem alguns fatores que você precisa atentar-se em cima e fora da bike, são eles:

1- Postura na bike

Flexão de tronco sustentada por longos períodos, principalmente quando o ciclista assume uma postura visando a aspectos aerodinâmicos.

Triathlon, em relação a ciclismo de estrada e MTB, é a modalidade que mais exige em relação a graus de flexão de tronco e pressão na lombar. Esta que produz uma retificação na lordose lombar, aumentando a tensão nos ligamentos.

Basicamente, são 3 mecanismos que podem ser associados a lombalgia. Um deles é que quando as forças musculares são reduzidas na flexão e estruturas como ligamentos e discos intervertebrais são colocadas em maior risco de lesão.

Em segundo lugar, a lombalgia crônica não específica em ciclistas pode resultar em ativação excessiva dos extensores da coluna, resultando em aumento da tensão muscular de toda a coluna lombar.

Em terceiro lugar, a flexão prolongada pode ser um importante fator etiológico para a lombalgia, pois a postura adotada gera acúmulo de microlesões.

2- Influência do quadro e componentes da bicicleta

Ter uma bicicleta com dimensões que se ajustam bem ao ciclista é importante por proporcionar conforto e ajudar a prevenir lesões musculotendíneas.

Uma bicicleta com componentes de dimensões inadequadas, ou mal ajustados, aumentam a chance de desenvolver lesões por esforço repetitivo em ciclistas.

Para manter uma postura adequada é importante que haja uma harmonia entre as três áreas de contato que o ciclista tem com a bicicleta que são elas: as interfaces pelve-selim, mãos-guidão e sapatilha-pedal, a altura do selim, o comprimento do pedivela, o posicionamento do taco na sapatilha e o ajuste ântero-posterior do selim. Todos estes determinam o que pode ser definido como postura relacionada à altura.

O comprimento e angulação da mesa, a altura, comprimento do guidão e o tubo superior efetivo constituem, juntos, o que se denomina de postura relacionada ao comprimento; em outras palavras, faz referência ao alcance atingido pelo ciclista sobre a bicicleta.

3- Bike fit na prevenção de lombalgia

Bicicletas são máquinas movidas pelo corpo humano e, como em um motor de verdade, é preciso que tudo esteja bem ajustado para garantir o melhor desempenho, com mais economia de energia e desgaste minimo.

Para que este ajuste perfeito aconteça, nada é tão eficiente como um bom bike fit – que nada mais é do que um processo que adapta a bicicleta ao corpo do ciclista. É importante sempre conferir se a bicicleta encontra-se devidamente ajustada, pois esta prática complementa a avaliação clínica do ciclista.

Estabelecer um diagnóstico específico e identificar fatores etiológicos são condutas que determinam a escolha do tratamento mais adequado.

Para isso, o procedimento mais indicado é realizar, através de um profissional qualificado, o Bike-fit, pois nele é possível regular toda estrutura da bike em relação à estrutura corporal do atleta.

Compartilhe com seus amigos se você gostou deste artigo! Inscreva-se na nossa lista de e-mails para receber conteúdo exclusivo como esse em primeira mão!

Por: Karolinne Zinato

 

1 comentário

Comentários encerrados.