Como aumentar minha capacidade anaeróbia?

Enquanto pedala, já se percebeu em momentos de força submáxima ou máxima, no pedal, em que você não teve a capacidade de resistir à progressão de potência ou velocidade por muito tempo ou por maior distância? Acredito que sim.

Pois é, isso se deve pelo acúmulo de ácido lático formado como subproduto da via energética que você estava usando.

Vamos para uma visualização prática disso: Suponhamos que no pelotão que você pedala, o batedor (gregário) foi aumentando a velocidade de forma progressiva com o passar do tempo.

Chega a um ponto em que você não mais suportava essa progressão ou ritmo constante e acabou ficando pra trás por uma ardência muscular (ácido lático) ou por uma redução na capacidade cardiovascular pra suportar aquele estímulo.

Para muitos ciclistas, momentos como esses desanimam o pedal e acabam por vez impedindo que ele volte no domingo cedo da semana que vem.

Pensando nisso, uma boa forma de equalizar os resultados perante a tais situações, é de fato, vivenciando-as e controlando-as enquanto treina.

Que tal, na sua próxima sessão de treino, você fazer da seguinte forma: Na sua marcha com resistência moderada, tente se manter em velocidade entre 22 a 25 km/h por cerca de dois minutos.

Passados os dois minutos, você acrescenta mais resistência aumentando a marcha da bike e continua mantendo a velocidade constante e controlando-a pelo seu frequencímetro.

E dessa forma, progressivamente, até chegar a última marcha, de dois em  dois minutos e sem diminuir a velocidade.

Você vai perceber uma certa ardência muscular, mas você tem que resisti-la até onde se sentir capaz.

Repita isso de acordo com sua frequência de treinos. A ideia é muito semelhante a um treino intervalado anaeróbio.

Assim, como um efeito crônico desse treinamento, há de melhorar consideravelmente a sua capacidade de resistência anaeróbia e manter-se mais vivo e forte nos pelotões caveira. Aproveite as dicas e bons pedais!!

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe com seus amigos e inscreva-se em nossa lista de e-mail.

Por: Felipe Vidal