Sua alimentação está em dia com a nutrição?

Muitas vezes fico desanimada em me deparar com atletas de mountain bike treinando em jejum, tirando todo carboidrato da alimentação, tomando todos os tipos de suplementos alimentares existentes no mercado, comendo um ou dois tipos de alimentos o dia inteiro, evitando algumas frutas ou vegetais por orientação médica ou de nutricionista… É triste para a nutrição.

Onde vamos parar com tanta invenção por aí? Infelizmente, observo atletas frustrados, cansados, desenvolvendo lesões, perdendo massa muscular e as vezes até desistindo da modalidade… E onde está o problema?

O problema é a desorientação nutricional, ou seja, é tanta informação “sem pé e nem cabeça”, muitas vezes sendo disseminada sem critério científico algum, que se torna uma verdade. Cuidado com isso, sua saúde está em jogo.

O mito da mágica dos “super alimentos”

Até hoje não consigo entender a mágica prometida ao consumir batata doce, frango e ovo ao longo do dia para atletas. Inicialmente, é importante deixar claro que não existe nenhum “super alimento”.

Os alimentos se complementam, devido aos nutrientes que eles contêm. Porém, cuidados devem ser tomados ao orientar a ingestão de qualquer alimento no plano alimentar.

Um exemplo muito comum é oferecer batata doce antes de treinos. Analisando o alimento em si, para algumas pessoas, torna-se até prejudicial.

É carboidrato, dá energia, mas, flatulento. Ou seja, produz gases, principalmente para quem é mais sensível.

Temos excelentes opções de carboidrato para o pré-treino, mais interessantes e mais adequados.

Outro exemplo é ingerir frango todos os dias, todos os horários, o tempo todo. Isso acarretará em um consumo exagerado de proteína, uma diminuição no consumo de vitamina B12 e Ferro melhor absorvido, (melhor obtido nas carnes vermelhas) prejudicando a saúde do atleta.

E os ovos, quanto exagero! o fígado e o rim desse atleta infelizmente estarão sobrecarregados. Desequilíbrio total de nutrientes.

A diversidade alimentar é fundamental para uma boa saúde e um bom desempenho

Quando o plano alimentar é elaborado, o nutricionista deve respeitar muitos aspectos que vão influenciar na saúde, desempenho físico e adesão do atleta.

Para se ter saúde, é importante optar por alimentos mais naturais, ricos em vitaminas e minerais para fortalecer o sistema imunológico (frutas e vegetais), ricos em carboidratos de boa qualidade para dar energia (desde frutas, fibras, grãos e pães diversos), gorduras com moderação para garantir o funcionamento adequado do organismo e também proteínas para o crescimento de tecidos.

Para chegar a isso tudo, é obrigatório comer de tudo, dentro da adequação individual. Se o atleta opta por dietas da moda, acaba se desnutrindo. Pois muitas vezes a conduta é taxativa e restritiva, que não condiz com a ciência da Nutrição.

O desempenho físico só melhora se o atleta estiver bem orientado, com o plano alimentar levando em consideração: a qualidade nutricional que interfere na saúde do atleta, as intensidades dos treinos que interferem na quantidade calórica diária e os horários de treinos que interferem em toda a organização das refeições.

E por fim, a adesão (que considero fundamental para o sucesso) que só será alcançada através de opções alimentares práticas, muitas vezes baratas e dentro do dia-a-dia do atleta.

Concluindo, se você está com um acompanhamento que não se sente bem, com tonteiras, monotonia em relação à escolha dos alimentos, sem variação de plano alimentar em relação aos treinos, opções extremamente caras e fora da sua realidade, pode ter certeza que tem coisa errada por aí.

Fiquem atentos, e procurem um profissional que atue dentro da ciência da Nutrição, sem influência mercadológica e também sem influência dessa mídia que deturpa a Nutrição Esportiva.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe com seus amigos e inscreva-se em nossa lista de e-mail.

Por: Cristiane Rocha Dayrell